sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Distância



Deixo aqui o sim, ou fim
o que há de vir
meus pensamentos
O melhor em mim
ficou em ti
em nossos momentos!

Não posso ir
jogar-me ao mar
tão indefesa
De tanto amar
vou naufragar
nas correntezas...

Ah, desejo insano
pecado humano
em carne viva
- equidistante
eu deixo a lida
por um rompante

Talvez em sonho
algum de nós
vire verdade
Até o bendito
do dia sóbrio
deixou saudade!

Perdi de vista
perdi nas nuvens
a fé e eu mesma
Ainda que esqueças
que eu exista
estou te amando...

- Tenha certeza!

Nenhum comentário: